15 setembro 2013

FanFic: Sempre Esperarei por Ti - Capitulo 14

Sempre Esperarei Por Ti

Autora(o): Paula Halle
Gênero: Romance, Comédia, Fantasia, Hentai, Universo Alternativo
Censura: +18
Categorias: Saga Crepúsculo
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo

**Atenção: Esta história foi classificada como imprópria 
para menores de 18 anos.**

Capitulo 14  - Mas que diabos! Eu devo ser louco.


– Com certeza, será bom rever os amigos. Ainda anda com Whitlock?
– Sim. – ele riu.
– Bom, diga a ele que estou ansioso para revê-lo.
– Hmmm, claro. Posso saber por quê?
– Eu lhe devo um chute no traseiro.
Por algum motivo eu não estava surpreso.

– O que ele fez? – ele riu, mas antes que ele dissesse o próprio Jasper entrou no hall sorrindo ao nos ver.
– Edward, quem é esse com você? – Emmett cruzou os braços sobre o peito olhando seriamente para Jasper que parou no meio do caminho olhando atentamente para Emmett.
– Jasper, se lembra de Emmett Hale? – Jasper sorriu, mas ao ver o rosto sério de Emmett franziu o cenho por um momento, em seguida gemeu.
– Você não pode ainda estar chateado por aquilo. Foi há anos atrás.

– Eu ainda me sinto chateado sim. – rosnou Emmett dando alguns passos em direção a Jasper que deu vários para trás.
– Vamos lá Emmett, com certeza ela nem lembra mais de nós e você chateado por uma garota qualquer.
– Eu casei com ela. – Jasper olhou desesperado para mim e somente ri. Lógico que tinha a ver com mulher.
– Oh, você casou com Rosalie?
– Sim, e eu lhe devo um soco pelo modo como a tratou. – grunhiu se aproximando mais, e antes que percebesse Jasper estava encurralado na parede.
– Mas... er... bem, se casou com ela, não houve nenhum dano e... – antes que ele terminasse Emmett deu um soco em seu queixo derrubando Jasper no chão, hesitei em me aproximar, sabia que Jasper devia ter aprontado com a tal de Rosalie.

Afinal, Jasper era um conquistador na época da escola, prometendo casamento a meia dúzia de mulheres quando estava bêbado, felizmente para ele, sua fama o precedia e ninguém o levava a sério. Ou talvez levassem.

– Autch, essa realmente doeu. – Jasper esfregou o queixo tentando se levantar e foi ajudado por Emmett.
– Desculpe, mas eu lhe devia essa. – Emmett sorriu deixando-me completamente confuso, assim como Jasper.
– Certo, e agora?
– Agora preciso ir pra casa, Rosie está grávida e não gosto de deixá-la sozinha. – ele se afastou de Jasper e veio até mim apertando minha mão.
– Parabéns Emmett.
– Obrigada Edward, o mesmo para você, e foi bom vê-lo novamente.
– Igualmente. – ele se despediu e se foi.

Jasper ainda esfregando o queixo se aproximou de mim e ri batendo em suas costas.
– Jasper, Jasper o que você aprontou?
– Honestamente eu nem me lembro, não tenho culpa se a mulher me levou a sério quando eu estava bêbado. – ri o empurrando para a sala.
– Você não toma jeito. Quando vai criar juízo, meu amigo?
– Assim que achar uma boa moça como sua Bella. – sorri com a menção do nome dela.

Vi a criada de Bella subindo com uma bandeja com sopa e alguns biscoitos, a chamei e ela apressadamente veio até nós.
– Milorde?
– Isso é para Bella? – ela assentiu.
– Sim, a condessa mandou que levasse. – sorri retirando a bandeja da mão de Alice.
– Eu levarei, poderia ajudar Jasper? – virei para ele.
– Você precisa de uma compressa fria, seu rosto está começando a inchar. – ele suspirou e se voltou para Alice que o olhava com olhos arregalados.
Jasper sorriu piscando, fazendo a moça corar como um tomate, o chutei na canela o fazendo me olhar.
– Comporte-se.
– Claro, claro. – rolando os olhos os deixei a sós e fui para cima.

Bati na porta a abrindo em seguida e encontrei Bella deitada, coloquei a bandeja na cômoda e fui até ela sentando ao seu lado e afagando seu lindo cabelo escuro. Ela suspirou em seu sono se virando até estar próxima de mim, sorrindo me inclinei roçando os lábios nos dela.
– Edward... – ela suspirou em seu sono. E meu sorriso se tornou maior.
Anthony ou Edward, ela amava a mim, quem eu sou agora, e isso era tudo o que importava.

[...]

Alguns dias depois.

Olhei sorridente para Bella que olhava atentamente para cada palavra que o padre jorrou sobre amor, confiança, respeito, fidelidade e compromisso. Embora seu discurso parecesse ser bonito, esperava que alguém pudesse repeti-lo para mim depois, porque desde que Bella havia entrado na igreja, ela era a única coisa que eu queria olhar.

Seu vestido branco era deslumbrante, com rendas e bordados, uma beleza, mas só era tão bonito por estar nela, ela deixou de olhar o padre por um momento e me pegou a olhando, com certeza vendo meu olhar de adoração e amor, ela sorriu com as bochechas coradas, e se voltou para o padre.
Ainda a olhando, vi ela erguer a mão tocando meu rosto e sorri, ela riu e olhou para o padre, segui seu olhar e vi que ele esperava minha resposta.

– Sim, eu aceito. – sussurrei e o padre sorriu e se virou para Bella.
– Sim, eu aceito. – ele assentiu e nos declarou marido e mulher, peguei as mãos de Bella nas minhas e beijei suas mãos demoradamente, ela sorriu suspirando baixinho. Sem soltar suas mãos me afastei apresentando a todos a minha esposa, Isabella Cullen, duquesa de Masen.

Depois do casamento todos fomos à casa dos meus pais. Havia uma grande festa que mamãe organizou com nossos amigos e conhecidos e os poucos familiares que tínhamos.
Dancei com Bella por algum tempo, mas não queria que ela se cansasse muito. Podia fazer mal ao bebê, deixei Bella dançando com meu pai, quando fui tomar uma bebida com Jasper, ele estava fugindo de Emmett e Rosalie a noite toda.
Vi os dois assim que chegamos, a esposa de Emmett era linda, com incríveis olhos azuis e um bonito cabelo loiro brilhante, era muito doce e sorridente e completamente apaixonada por Emmett que a olhava com igual adoração.

Beberiquei meu uísque, quando senti Jasper me cutucando, segui seu olhar e gemi quando vi James entrando. Diabos, o que ele queria aqui?

– Você o convidou?
– Diabos! Claro que não.
– Talvez seus pais. – ofereceu e assenti.
– Possivelmente. Eu devia ter especificado para eles que não o queria aqui. – Jasper concordou, eu havia falado com ele sobre como James tratou Bella, e ele estava tão irritado quanto eu.
– O que fará?
– Nada posso fazer, exceto evitar deixá-lo sozinho com Bella. – ele concordou novamente.
– Não a deixaremos. – prometeu e sorri agradecido.
Depois de terminarmos nossas bebidas, deixei Jasper e fui até Bella, ela saiu dos braços do meu pai e me abraçou apertado.
– Tudo bem, querida?
– Sim, só... esse é um dos melhores dias da minha vida. – sorri abertamente beijando seus lábios.
– Da minha também, amor. – ela tocou meu rosto delicadamente.
– Eu te amo Edward.
– Te amo Bella.

Ficamos nos olhando por um momento, sorrindo como bobos apaixonados. Peguei sua mão beijando seus dedos a fazendo rir baixinho.
– Oh, como vocês são adoráveis. – gemi ao ouvir a voz de James e me virei para ele irritado.
– O que quer, James? – ele arqueou uma sobrancelha, com certeza confuso com minha hostilidade, mas já devia imaginar que Bella me contou da proposta que fez a ela da última vez que se virão, ele lançou um olhar irritado a Bella que se encolheu ao meu lado.
– Vejo que sua esposa gosta de falar.
– Sim, e pelo visto você também, então agora é minha vez. Fique longe de nós James, eu não quero mais ver você em minha casa ou perto da minha família.
– Sua família? Escute aqui seu moleque, essa família também é minha, e não pense que vou ficar parado vendo você e essa vagabunda roubarem o que me pertence. – dei um passo para frente pronto para socá-lo, mas as mãos de Bella agarraram meu braço me parando.
– Eu não roubei nada, James. Robert com certeza sabia a cobra que você é, por isso não te deixou nada. Agora saia daqui, você não é bem vindo.
– O que está acontecendo? – papai se aproximou de nós e o olhei bravo.
– Seu irmão insultou minha esposa. – os olhos de meu pai se arregalaram.
– Você perdeu o juízo James, qual o seu problema? – James riu amargamente.
– Meu problema é que estou cansado de ser passado para trás nessa família. Esse moleque tomou o que pertencia a mim por direito. Masen devia ser minha.
– Chega James. Edward é o dono de Masen, está na hora de você aprender a conviver com isso.
– Mas esse moleque...
– Eu disse chega. – meu pai rosnou agarrando o braço de James e o puxando para longe.

Assim que ele se foi, Bella se jogou em meus braços, a apertei contra mim beijando seus cabelos.
– Está tudo bem, amor?
– Sim, enquanto estiver com você está tudo ótimo.
– Então nunca sairei do seu lado. – ela ergueu o rosto me encarando.
– Promete?
– Prometo amor, sempre estarei com você. – ela suspirou alegremente me abraçando apertado.
O resto da noite se seguiu mais calmo, papai conseguiu se livrar de James e conseguimos aproveitar o resto da festa. Bella começou a ficar cansada no meio da festa e achei que já era o suficiente e nos recolhemos.

Dei boa noite aos meus pais e subi com Bella para meu quarto, que agora seria o nosso, antes de chegarmos a porta agarrei Bella a erguendo em meus braços, ela riu abraçando meu pescoço e deitando a cabeça em meu peito.
– Feliz, esposa?
– Muito esposo. – sorrindo entrei no quarto a levando até a cama, a deitei sobre os lençóis ficando sobre ela.
Bella sorriu docemente levando sua mão para minha nuca e brincando com o cabelo dali, me inclinei para ela beijando seus lábios demoradamente. Ela gemeu baixinho me puxando mais para ela, meu corpo pairando sobre o dela, mas havia muitas roupas entre nós.
Sai de cima dela retirando minhas roupas, Bella me olhava com paixão, e gemi sentindo meu membro pulsando de desejo, a puxei para que sentasse e comecei a desabotoar seu vestido, demorou um pouco, mas finalmente ela estava nua para mim.
A visão do seu corpo sempre me deixava louco, sem me conter mais deitei sobre ela, gemendo quando nossas peles se tocaram, sem nada entre nós dessa vez. Bella passou as mãos por meu corpo, me fazendo estremecer com seu toque, minhas mãos eram afoitas em seu corpo, tocando todas as partes que podia alcançar.

Quando toquei entre suas dobras úmidas ela gritou me abraçando com força, acariciei sua boceta gemendo ao sentir o quanto ela estava molhada e quente para mim, sem poder me segurar mais, coloquei sua perna sobre meu quadril a abrindo para mim e me afundei dentro dela.
Bella gritou arqueando o corpo contra o meu, me levando mais profundamente dentro de si, gemendo coloquei sua outra perna em meu quadril e comecei a me mover dentro dela, primeiro lento e profundo, mas logo forte e rápido, seus gemidos me faziam pulsar e aumentar cada vez mais a velocidade das investidas.
Enterrei meu rosto entre seus seios e os chupei, lambendo e sugando os mamilos duros de prazer, Bella gritou agarrando meu cabelo, já podia a sentir pulsando a minha volta, seu corpo tremendo quando suas unhas fincaram em meu ombro, quando ela veio com um gemido longo e alto.
Acabei vindo em seguida, meu pau latejando todo o caminho, derramando meu prazer dentro dela. Bella suspirou me abraçando apertado, e nos virei deixando seu corpo sobre o meu. Ficamos em silêncio algum tempo só aproveitando nossos corpos unidos e o silêncio que nos rodeava.

– Edward? – Bella chamou depois de um tempo e a olhei, ela estava apoiada em meu peito me olhando com curiosidade.
– Diga, amor.
– Iremos morar aqui?
– Aqui em Londres?
– Sim, iremos?
– Eu não sei, achei que gostaria de viver em Masen.
– Podemos? – sorri acariciando suas costas.
– Podemos tudo o que você desejar, amor. – ela sorriu e deitou a cabeça em meu peito.
– Eu gostaria de viver lá, seria ótimo para criar os filhos. – peguei seu queixo a fazendo me olhar.
– Filhos? – ela corou lindamente.
– Bem, sim, eu gostaria de mais de um. Você não?
– Eu adoraria ter muitos filhos com você, amor. – ela sorriu e voltou a deitar em meu peito.
– Não iremos mais viajar em lua de mel, não é?
– Não, eu temo que uma viagem assim faça mal para você e o bebê.
– Tudo bem, podemos ir depois? – sorri.
– Claro, iremos quando os filhos forem mais velhos. – ela riu alegremente.
– Não vejo a hora.
– Eu também. – ela bocejou.

– Sempre sonhei com isso, sabia?
– O que?
– Isso, eu e você juntos, começando uma família, fazendo planos.
– Eu e você? – sussurrei e ela me olhou nervosamente.
– Er... eu...
– Você quer dizer você e Anthony? – ela mordeu o lábio e evitou meus olhos.
– Desculpe, eu... – sorrindo peguei seu queixo novamente a fazendo me olhar.
– Está tudo bem, amor.
– Está?
– Sim, eu também sempre sonhei com isso. – ela pareceu confusa e ri.
– Eu não entendo...
– Eu entendo agora. – ela ofegou baixinho.
– O que você entende?
– Tudo. E eu lamento ter te deixado. – ela se sentou me olhando atentamente.
– Edward? – me sentei também pegando seu rosto em minhas mãos.
– Eu lamento ter te deixado Bella, eu realmente lamento, eu nunca deveria ter te deixado, mas eu voltei pra você e nunca mais sairei do seu lado novamente. – lágrimas escorriam pelas bochechas de Bella que fungou.
– Vo – você lembrou?
– Eu acho que sim, mas saiba Bella, Anthony ou Edward, em meu coração eu sou sempre seu. – ela chorou se jogando em meus braços.
– Oh Edward, sempre serei sua também, e sempre esperarei por você.
– Não há mais nada há esperar amor, eu nunca mais a deixarei.

Ela riu entre lágrimas me abraçando apertado. Essa promessa eu cumpriria até o fim, nada me afastaria de Bella novamente.
Nos deitamos abraçados, e acariciei seu cabelo até adormecermos, quando acordei Bella ainda estava em meus braços e sorri com a visão dela, serena e doce, e minha.
Relutantemente sai da cama e fui me vestir, peguei uma calça preta simples e camisa branca e um colete, fiz minha higiene, vesti minhas botas e Bella nem se mexeu. Beijei suas costas nuas e desci, iria pedir seu café da manhã.

Assim que entrei na sala de jantar encontrei mamãe e papai tomando café, os desejei bom dia e sentei por um momento, pedi a um dos criados que preparasse uma imensa bandeja com café da manhã e me trouxesse, assim que ele saiu sorri para meus pais.
– O resto da festa foi boa?
– Sim, todos sentiram sua falta, mas entenderam que você queria ficar a sós com sua linda esposa. – mamãe piscou e ri.
– Bom.
– O que farão agora, Edward? Imagino que cancelou a lua de mel. – perguntou papai e assenti.
– Sim, a viagem de navio seria muito exaustiva para Bella.
– Sim, realmente. Vocês voltarão para Masen?
– Oh não, fiquem mais, mal acabaram de chegar. – pediu mamãe e lancei um olhei um olhar nervoso para meu pai que suspirou.
Com certeza entendendo meu receio em ficar, se James aparecesse aqui eu não responderia pelos meus atos, eu bateria no bastardo.
– Eu proibi James de vir aqui. – mamãe olhou confusa entre nós e arquei uma sobrancelha.
– Realmente?
– Claro, sei que ele é meu irmão, mas ele extrapolou todos os limites ontem.
– O que James fez? – mamãe finalmente perguntou e bufei.
– Ofendeu Bella.
– Aquele bastardo.
– Esme. – papai guinchou e ela deu de ombros.
– Adorava seus pais Carlisle, mas seu irmão não presta. – assenti em acordo e ele gemeu, mas não negou, papai conhecia muito bem o irmão que tinha.
– Então filho, vai ficar? – olhei entre os dois e sorri.
– Se Bella não se incomodar, ficaremos mais um pouco.
– Esplêndido, começaremos a encomendar o enxoval do meu neto. – sorri brilhantemente.
– Bella irá adorar, mãe.
– Milorde. – vi o criado com a minha bandeja e pedi licença aos meus pais, peguei a bandeja agradecendo e subi para o quarto.

Ao entrar não encontrei Bella na cama, coloquei a bandeja sobre os lençóis, e já ia procurá-la quando ela entrou sorrindo fracamente, com certeza vindo do banheiro.
– Mais enjoos, amor?
– Sim, isso passará um dia?
– Acredito que sim. Com fome? – ela olhou a bandeja e sorriu.
– Faminta. – peguei sua mão e a levei até a cama e nos sentamos, comemos em silêncio por algum tempo.
– Iremos para Masen quando? – Bella perguntou de repente e sorri.
– Minha mãe gostaria que ficássemos mais algum tempo, ela quer começar a comprar o enxoval do nosso bebê. – Bella sorriu.
– Ah, poderíamos ficar mais um pouco então. – sorrindo me inclinei para beijar seus lábios, ela gemeu abraçando meu pescoço e empurrei a bandeja para o lado para desfrutar da minha linda esposa.
Caímos sobre a cama em um beijo ardente, suas mãos tentando me livrar das minhas roupas, assim como eu tentava me livrar das dela. Afastei meus lábios dos dela e ela sorriu ofegante.
– Eu te amo, Anthony. – pela primeira vez, eu não me senti triste ao ser chamado assim. Eu sentia que no fundo eu era ele, ele era eu, e Bella nos amava, e isso era tudo o que importava.

Sim, isso era muito confuso, mas de algum modo fazia sentido para mim.

Mas que diabos! Eu devo ser louco.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...