18 setembro 2013

FanFic: Sempre Esperarei por Ti - Capitulo 17

Sempre Esperarei Por Ti

Autora(o): Paula Halle
Gênero: Romance, Comédia, Fantasia, Hentai, Universo Alternativo
Censura: +18
Categorias: Saga Crepúsculo
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo

**Atenção: Esta história foi classificada como imprópria 
para menores de 18 anos.**

Capitulo 17 -  Mas que diabos! Aqui era lugar de fazer isso?


Enquanto Bella ressonava ao meu lado. Olhei através da janela e suspirei, só esperava que as coisas em Masen, não estivessem muito ruim. Mas eu tinha um pressentimento que estava.
Peguei a carta de Laurent e grunhi relendo suas palavras, quem poderia estar fazendo essas coisas? Seja que for era alguém que odiasse Masen ou a mim, seja quem for...
James!

Foi o primeiro nome que me veio à mente, e o único que me odiava o suficiente para destruir Masen Hill, pelo jeito se ele não podia ter ninguém mais podia.
Esfreguei o rosto tentando pensar no que fazer. Eu não podia acusar James sem provas. Eu nem tinha certeza se realmente foi ele... diabos claro que era ele, mas ainda sim eu ainda não tinha prova nenhuma de que ele deseja destruir Masen Hill, só por que ele não pode ter.

Bella suspirou me apertando mais forte e sorri esfregando seu estomago. Todos os pensamentos sobre James sumindo da minha mente e se concentrando na minha Bella. A razão de todo o meu mundo.
Ela piscou abrindo os olhos e sorriu, deu um pequeno bocejo.
– Já chegamos?
– Ainda não amor. Descanse ainda temos um longo caminho pela frente. – ela assentiu se aconchegando contra mim com um pequeno sorriso.
– Está bem. Te amo. – sorri e beijei seus lábios.
– Te amo. – ela suspirou voltando a se aconchegar contra mim.
Sim ainda tínhamos um longo caminho e desconfiava que quando chegássemos a Masen as coisas não seria mais fácil.

[...]

Quando os couces pararam em frente de Masen, sai ajudando Bella, Laurent já estava nos portões com alguns criados que descarregavam as bagagens. Levei Bella para dentro da casa e Jasper nos seguia.

– É bom voltar. – Jasper murmurou olhando a casa e ri.
– Jasper, eu o adoro, mas onde você mora? – ele olhou para Bella com um sorriso envergonhado.
– Eu tenho algumas propriedades, mas eu não gosto de ficar sozinho, e não me dou muito bem com meus pais, então prefiro ficar com Masen.
– É tem que ter muita paciência pra aguentar o Whitlock aqui. – falei batendo no ombro dele que sorriu.

Os pais de Jasper não eram as pessoas mais maravilhosas do mundo, sempre pensando nos bens materiais, embora Jasper fosse filho de um lorde ele não gostava de ostentar o titulo e nem os pais dele faziam questão. Já houve ocasiões que preferiram fingir que Jasper não era parente deles. Por isso meu pai o adotou, ele acabou passando férias conosco, e depois de grande sempre acaba em Weston comigo. Suas propriedades nas mãos dos advogados dele, deixava seu dinheiro em bancos só pegando o necessário.

– Isso é terrível Jasper.
– Não fique triste por mim Bella. Eu já estou acostumado. – ela deu um abraço nele que sorriu a abraçando, quando ela se afastou notei Alice na porta olhando para Jasper com a mão na boca, pigarreei e ela se apressou em pegar as malas que carregava e subiu atrás de Ângela.
– Bella, amor melhor ir descansar.
– Claro. Você viu Alice?
– Ela acabou de subir.
– Irei me refrescar então. – a abracei beijando seus lábios rapidamente e sorri quando ela suspirou contra minha boca se afastando em seguida com um sorriso.
– Bom descanso. – ela sorriu e se foi.

Esperei ela subir e me voltei para Jasper, ele arqueou uma sobrancelha com certeza ao ver minha expressão.
– O que há?
– James tem atacado Masen Hill.
– James? Como sabe que é ele?
– Quem mais teria interesse em destruir Masen?
– Verdade pode ser ele. Mas também podem ser bandidos.
– Sim, mas não parece coisa de bandidos. Bandidos roubariam, mas por que queimar as plantações e prejudicar o gado?
– Realmente, os ataques parecem ser mais para prejudicar.
– Precisamos verificar com os arrendatários se viram algo.
– Duvido que tenham visto algo. Teriam relatado se tivessem, seja James ou outra pessoa, é bem esperta.
– Sim. Esse é meu medo. Ainda sim precisamos verificar.
– Claro.

Chamei Laurent que relatou onde aconteceram os acidentes, e acompanhado de Jasper e mais alguns homens cavalgamos para ver os arrendatários. Mas como previmos não descobrimos muitas coisas.
Já era noite quando voltamos sem nada, há não ser mais denuncias de ataques.
– Vou me limpar para o jantar. – falei a Jasper que assentiu.
– Tudo dará certo Edward.
– Espero Jasper. Mas eu sinto que James está tramando algo.
– Infelizmente eu também sinto isso. – ele suspirou e subiu para seu quarto também.

Cheguei ao meu quarto e sorri ao ver Bella, ela sorriu brilhantemente ao me ver.
– Edward demorou, está tudo bem?
– Não muito amor. Eu não consegui descobrir nada sobre os ataques.
– Acha que é algo grave?
– Eu não sei. Acredito que possa ser James.
– James?
– Quem mais poderia querer prejudicar Masen?
– Oh Edward o que fará?
– Não faço ideia. Não posso acusar James, baseado nas minhas suspeitas. Mas se for ele, o matarei Bella, James está passando dos limites. – ela me abraçou beijando meu peito.
– Ele só quer provocá-lo Edward.
– Eu espero.
– Sabe o que precisa?
– O que tem em mente? – ela sorriu travessa.
– Um bom banho quente.
– Se juntara a mim?
– Se você insistir.
– Eu insisto. – ela riu e foi chamar os criados para encher a banheira. Precisava chamar alguém para reformar os banheiros de Masen.

Em pouco tempo a banheira estava cheia de água quente, assim que os criados nos deixaram as sós, Bella se livrou das minhas roupas e entrei na banheira, assisti enquanto ela se livrava das dela com um sorriso.
– Você está tão linda. – ela riu.
– Estou como sempre. – neguei.
– Não, desde que está grávida você está lindíssima.
– Vamos ver se pensa assim depois de alguns meses quando estiver barriguda. – sorri mais ao imaginá-la cheia com nosso bebê
– Estará deslumbrante tenho certeza. – ela sorriu com suas bochechas esquentando, mas terminou de tirar a roupa entrando na banheira comigo.

Abracei seu corpo a colocando em meu colo, ela montou em mim seus seios se esfregando contra meu peito, acariciei seus lados sentindo ela se arrepiar com meu toque. Desci minhas mãos até seu centro tocando suas dobras macias, ela gemeu agarrando meus ombros.
Empurrei um dedo dentro dela sentindo o calor do seu centro e a umidade do seu prazer, ela gemeu novamente mais alto dessa vez cravando as unhas em minha pele. Desci a boca para seu pescoço lambendo sua pele, ela suspirou se abrindo mais para mim, girei meus dedos dentro dela massageando seu centro que pulsava de prazer.
Meus beijos desceram mais até seus seios, onde provoquei os mamilos com beijos e mordidas, ela gritou descendo as mãos entre nós, e segurando meu pau, sua mão o massageou lentamente o apertando.

– Bella... – arfei, eu viria em sua mão se ela continuasse me tocando, mas eu queria vir dentro dela.
– Deus Edward... – suspirou esfregando a ponta.
– Me leve para dentro de você amor.
– Sim... – sua voz era rouca de desejo, ela levou meu pau a sua entrada, afastei meus dedos e a ajudei empurrando para dentro dela, meu pau deslizou em sua fenda alargando sua entrada.

Bella gritou subindo as mãos por meu peito e passando as pontas dos dedos por minha pele gemi empurrando meu pau mais profundamente dentro dela. Ela gritou pegando meu rosto e beijando meus lábios, sua língua se enroscou com a minha, entrando e saindo da minha boca, como meu pau fazia em sua entrada.

A penetrei lentamente, apreciando como nós éramos perfeitos juntos, sua carne macia em volta do meu membro, dava choques, me fazendo grunhir de prazer. Agarrei seus quadris empurrando mais profundamente dentro dela. Sua boca se afastou da minha ofegando e ela abraçou minha cabeça, enterrei o rosto em seu pescoço beijando sua pele macia, ainda empurrando profundamente dentro dela. Cada vez mais forte e rápido.

– Oh meu... Edward...
– Estou quase...
– Eu também amor... – ela ofegou, seu corpo tremendo sobre o meu, abracei seu corpo com um braço e levei a outra mão a sua entrada massageando seu clitóris, ela gritou quando veio, seu corpo vibrando com o prazer.
Eu a segui meu pau pulsando e derramando meu sêmen dentro dela, curtindo os choques de prazer que sua boceta provocava em volta do meu membro.

Ficamos abraçados em silêncio por alguns minutos, até ouvirmos uma batida na porta anunciando o jantar seria servido em breve. Bella sorriu gritando que iríamos logo.
– E aquele banho?
– Mas acabamos de tomar. – ri e beijei seus lábios.
– Eu ainda me sinto sujo. – ela riu pegando água e jogando em meu corpo.
– Então eu vou cuidar de você marido.
– Hmmm... isso é muito bom. – relaxei na banheira a deixando lavar meu corpo, claro sempre que possível a tocando e fazendo cócegas nas suas partes sensíveis.

**Alguns meses depois...**

Bella desceu a escada com um pouco de dificuldade e me apressei em ajudá-la. Ela estava linda com sua grande barriga arredondada, embora estivesse entrando no sétimo mês agora, ela estava enorme e parecia que teria o bebê a qualquer momento.

– Amor, não desça as escadas sozinhas. – ela grunhiu.
– Edward, estou grávida não doente. Posso andar sozinha.
– Mas e se você cair da escada. – resmunguei e ela suspirou e sorriu.
– Desculpe. É que estou me sentindo enorme, e mal humorada.
– Eu sei amor, mas só mais um pouquinho. – ela me olhou feio, ela me dava muitos olhares assim sempre que sentia alguma dor, ou desconforto.

Mas imagino que devia ser coisa de grávida já que ela estava assim por minha culpa. Ainda bem que em algumas semanas mamãe estaria vindo para ajudar Bella. Nesse meio tempo ela estava muito amiga de Alice, e elas adiantaram bastante às roupas do bebê. Enquanto ela se ocupava em preparar tudo para a chegada do bebê eu continuei trabalhando em descobrir quem estava atacando Masen Hill. Os ataques paravam de tempos em tempos, e quando relaxávamos aconteciam de novo.
O infeliz estava brincando conosco, e isso só me dava mais certeza de que era James que estava por trás disso.

Ajudei Bella até sua sala de costura, Alice ainda não estava lá, sentei em uma das poltronas de Bella a puxando para meu colo, ela sorriu deitando a cabeça em meu ombro.
– Desculpe o mal humor.
– Eu não me incomodo amor.
– Mas eu não devo descarregar minha frustração em você. – fez beicinho e mordisquei a fazendo rir.
– Eu amo até quando você está brava comigo.
– Não estou brava com você. – arquei uma sobrancelha e ela bufou. – Talvez um pouquinho.
– Acredite, você ficara mais brava na hora do parto. – ela fez uma careta e sorri tocando seu estomago inchado.
– Mesmo assim não vejo a hora do parto.
– Sim, quero vê-lo também.
– Pode ser uma menina sabia.
– Uma menina seria maravilhoso.
– Não prefere um menino?
– Amarei qualquer bebê que você me der Bella.
– Sim, mas eu gostaria de um menino. Depois uma menina.
– Mas e se for menina você tem algum nome em mente?
– Não sei, gosto de Emily.
– É bonito, que tal Charlotte.
– Emily Charlotte Cullen? – ela repetiu e sorri.
– Eu gosto, mas precisamos olhar para nossa menininha e ver se ela tem cara de Emmy. – ela riu.
– Sim, ou se nosso menino tem cara de Robert.
– Exatamente.
– Deus, onde está Alice?
– Quer que eu vá procurá-la?
– Você poderia?
– Claro. – a ajudei se levantar e levantei a sentando em meu lugar, beijei sua testa.
– Assim que a achar mandarei pra cá. Eu vou dar mais uma volta pelas terras. – ela fez uma careta, mas assentiu.
– Está bem. Não demore muito.
– Não se preocupe amor.

Sai da sala e fui chamar Laurent, o achei caminhando afobado até mim.
– Tudo bem Laurent?
– Sim milorde, quer dizer não. Recebemos uma denuncia de um grande roubo, alguns homens viram os ladrões e os pegaram.
– Isso é ótimo. Não é? – perguntei ao ver seu desconforto.
– Sim... sim. Bem um deles fugiu, e o virão correndo para a floresta.
Diabos.
– Laurent, eu irei me unir ao grupo de buscas. Não diga nada a minha esposa, chame Alice para ficar com ela.
– Claro milorde. – ele já ia se afastar, quando o chamei.
– Alguém disse como se parecia o bandido que fugiu? Ou os que foram pegos disseram algo?
– Não que eu saiba milorde, ah disseram que era um homem com cabelo loiro cumprido e bem apessoado.
– Entendo. – tinha que ser James. – Pode ir agora Laurent. – ele assentiu e corri para o escritório, precisava pegar minha pistola, mas ao abrir a porta parei abruptamente ao ver Jasper e Alice se beijando.

Mas que diabos! Aqui era lugar de fazer isso?


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...