30 agosto 2015

FanFic Passado Distorcido - Capitulo 27 - Trina.

 

Autora(o): Kelly Domingos - Whatsername no Nyah!
Gênero: Angst, Romance, Universo Alternativo, Hentai, Drama
Censura: +18 
Categorias: Saga Crepúsculo 
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo


Trina



POV Bella


Se a despedida tivesse um gosto, ela teria o gosto de Edward. Era fácil lembrar-me dos lábios roçando em cima dos meus, a respiração pesada e a porta sendo fechada. Eu estava um pouco quebrada, não, muito quebrada. Eu não queria sair da minha cama, era bom inspirar o cheiro de Edward, sentir o cheiro de homem. O suor cheio de feromônios. A inquietação não me deixava pensar coerentemente. Eu o amava muito. Não saberia dizer quando começou e porque começou, a única certeza que eu tinha era que eu o amava. Era um gostar diferente, eu o queria por perto sempre, pode beijá-lo e dividir minhas angústias, alguém para conversar quando eu perdesse o sono durante a noite. Eu não me importaria se esse alguém fosse Edward.

Era um sentimento avassalador, daqueles que fazem o peito doer. A dor se intensificava quando a realidade me assolava, o sentimento não era recíproco. Minha situação era, no mínimo, curiosa. Eu nunca tinha vivido nada parecido, eu conhecia apenas o amor dos pais e de Alice, e quando eu conheço o que é amar realmente, o cara simplesmente tem transtornos de personalidade.
Rastejei para fora da cama, minhas roupas perfeitamente jogadas no chão. Olhei meu corpo nu, o calor subiu para o meu o rosto. Era difícil acreditar que Edward e eu tínhamos chegado tão longe e, céus, aquilo era muito bom. Muito bom mesmo. As lembranças congestionaram minha cabeça. Os beijos, os toques, a língua malvada dançando entre minhas pernas. Ele me penetrando, o corpo ondulando ritmado ao meu, ele me dando o melhor momento de minha vida.


Caminhei lentamente para o banheiro, a água lavou os vestígios da noite perfeita. Eu sabia que eu estava pulando um detalhe importante, vasculhei minha mente até chegar ao detalhe mais óbvio. Nós não tínhamos nos prevenido, Edward não tinha usado camisinha, muito menos, terminado fora de mim. Fiz contas fáceis e descobri que eu não estava tão fértil assim, mas eu nunca poderia confiar naquele método. Eu tinha abandonado as pílulas, nem passava em minha cabeça transar com alguém tão cedo. Sai do banho e revirei as gavetas até achar uma pílula do dia seguinte, as chances de uma gravidez eram remotas. Eu sorri ao imaginar um bebê de olho verde.

Ainda era cedo e eu estava de folga, a sala estava silenciosa. O celular de Edward estava jogado no sofá, ele tinha se esquecido do aparelho. Eu me assustei e sorri quando vi nossa foto como proteção de tela. Nós parecíamos felizes, porém, um tanto perdidos também.
Desmontei no sofá e deixei minha mente vagar, meu coração batia um pouco mais forte. As batidas eram vigorosas e aqueciam meu peito. A sensação era boa. Eu queria saber quais eram os pensamentos de Edward, talvez, ele tivesse achado a noite uma droga. Agora, com certeza, ele estaria me comparando com outras mil mulheres com que ele já dividiu a cama.
Quando o relógio marcou nove da manhã, duas batidinhas características soaram. Poderia parecer estranho, mas, pelo som, eu já inferia que era Edward. Não deixei ser tomada por nenhum tipo de emoção, eu sabia que eu iria odiar as palavras de Edward, eu já sabia quais eram. Ele estaria indo embora.

Abri a porta quase sem vontade, Edward tinha um semblante terrivelmente cansado, ele não tinha dormido. “Oi, Edward.” Falei um pouco ansiosa.
Ele me encarou por uma breve fração de segundo, quase me analisando. “Oi?” Eu deveria dizer que a expressão de Edward me incomodava, não de um jeito ruim. Ele estava completamente perdido, os olhos vagavam. Vagavam para lugar nenhum.
Edward entrou sem esperar meu convite, o corpo cansado parou no meio da sala. “Eu vim ver como você está...”
“Eu estou bem.” Fisicamente, acrescentei em minha mente.
Edward sorriu sem vontade também. “Você sabe o que eu quis dizer.” Ele deu passos para minha direção, as mãos pegaram meu rosto e o beijo mais puro do mundo fora dado em minha testa.
Eu sempre quis saber os significados dos beijos que ele me dava, os beijos na testa transmitiam uma preocupação sem igual.
Meu corpo esquentou pelo contato repentino, minha espinha recebeu leves choques. Os lábios de Edward demoraram em minha pele e, tão delicadamente, ele deixou um beijo casto em meus lábios.
“Uh, eu trouxe remédio para você...” Edward disse incerto, eu podia ver uma ponta de vergonha na fala. “Nós não nos prevenimos...”
Ele me estendeu o comprimido, completamente envergonhado. “Eu sei que isso não previne nenhuma doença, mas eu sou limpo, sim?”
E então eu quis chorar, eu não poderia acreditar que Edward estava falando sobre DST, realmente, a noite não teve o mesmo significado para ele.
 “Eu também não tenho nada...” Minha voz embargou no final. Eu não iria chorar na frente de Edward.
Um silêncio interminável se instaurou. Edward parecia querer dizer mil coisas, a insegurança exalava de seu corpo.

“Você esqueceu seu celular.” Falei apenas para mantermos um diálogo. Voltei para o sofá e estendi o aparelho para ele.
Edward pegou o aparelho, eu via a mão tremendo levemente. E então eu comecei a ficar preocupada, ele parecia entrar em convulsão a qualquer momento.
“Bella?” Edward me chamou baixinho, quase inaudível.
“Sim?” Falei também baixo, eu já me sentia meio tonta, aquela conversa não iria terminar bem.
Ele me olhou profundamente, Edward poderia analisar minha alma se quisesse. Os olhos verdes estavam opacos, um tanto tristes. “Eu não sou o cara certo para você...”
A afirmação dita com a voz vacilante fez meu coração perder uma batida, senti meu rosto esquentado, e meus olhos marejando. Era sempre assim, por que todas as pessoas que eu gostava saiam de minha vida?
Meus olhos queimaram por causa das lágrimas idiotas. “Eu sei o que é bom para mim, Edward!”
Edward correu os dedos pelos cabelos, uma careta preencheu-lhe a face bonita. “Você não sabe, Bella”
“Você é bom para mim.” A fala saiu cortada, meu peito batia descompassado. Eu queria falar tanta coisa, dizer o jeito que ele me deixava, o jeito que eu o amava.
“Bella, eu não sou bom o suficiente, você merece alguém melhor que eu!” A voz de Edward saiu mais alta, embora continuasse incerta.

Outro silêncio desconfortável preencheu a sala. Edward permaneceu imóvel em minha frente, eu estava vendo tudo se acabar.
“Edward, eu sei exatamente o que é bom para mim, e eu sei que eu quero você!” Surpreendi-me com a certeza de minhas palavras, o rubor cobriu meu rosto.
“Não faça isso ficar pior, baby.” Edward disse nervoso, ele não estava nervoso comigo, era com ele próprio.
“Sabe qual é o seu problema, Edward?” Soltei de qualquer jeito, minha arguição saiu desesperada.
Sem nenhum tipo de resposta, fui obrigada a continuar. Antes, algumas lágrimas desceram sem minha permissão.
“Você acha que pode entrar em minha vida e vira-la de cabeça para baixo e, depois, simplesmente, ir embora.” Falei em meio às lágrimas, Edward me olhava completamente perdido.
“Eu realmente amei tudo que aconteceu ontem à noite, foi a melhor coisa que me aconteceu, mas eu não posso pedir para você sentir as mesmas coisas que eu sinto.” Eu disse abafado, surpreendida pela escolha das palavras, eu tinha falado demais.

Edward caminhou e se agachou em minha frente, nossos olhos se prenderam. O verde esmeralda parecia transbordar, as emoções dançavam entre os cílios longos e, por um instante, pensei que Edward poderia sentir tudo que eu sentia.

“Bella, apenas acredite em mim, eu não tenho palavras para dizer o quão perfeito foi nos dois juntos ontem, mas eu preciso ir.” Ele disse baixinho, vi um pouco de umidade acumulando nos cantos dos olhos. Edward não chorou efetivamente, mas as lágrimas estavam lá.
“Você não precisa ir.” Dessa vez, não segurei minhas lágrimas. O choro molhou meu rosto, as mãos de Edward correram timidamente por minhas bochechas.
“Eu preciso, baby.” Edward beijou minha têmpora, o contato foi rápido demais. “Eu estou fazendo isto por você.”
Aquele discurso era infundado, ele deveria ficar e não me deixar. A razão já tinha sido esquecida, mas recobrei-a. Eu não poderia obrigar Edward a ficar comigo, eu não iria me humilhar assim.
“Eu não vou correr atrás de você quando você cruzar aquela porta.” Falei firme, mas, por dentro, meu peito se retorcia em dor.
Edward esfregou o rosto, ele era o retrato da confusão. “Vai ser melhor assim.”
Meus olhos seguiram os movimentos de Edward, eu analisei cada atitude, eu queria poder entrar na cabeça dele e tirar tudo que o afligia. Eu apenas queria um Edward sem hesitação, que soubesse o que realmente quer.

A cena era triste, meus olhos inchados e os de Edward, vermelhos e segurando as lágrimas. Era difícil dizer quem estava mais quebrado.
Nossos olhos não se desgrudaram, eu queria aproveitar aquele último instante junto a ele. “Eu amo você, Edward.” As palavras saíram calmas, quase despretensiosas. A declaração trouxe um brilho aos olhos de Edward, ele piscou incrédulo.
“Eu amo muito você, de um jeito que dói.” As lágrimas atrapalharam minha fala, falar aquilo, de um jeito torto, era bom. Era libertador.
Edward continuou a me olhar, eu daria tudo para desvendar o que ele queria dizer. “Eu não mereço você, baby.”
Então era isso, eu o amava e ele estava me deixando. “É melhor você ir, Edward.”
Ele assentiu rapidamente, relutante, Edward se levantou e caminhou para a porta. Sem olhar para trás, ele a trancou.
O choro tornou-se interminável, era como ir do céu ao inferno em um intervalo de poucas horas. Perguntei-me o que tinha de errado comigo. Tombei minha cabeça no sofá, as almofadas conferiram certo alívio para minhas costas.
O resto da manhã passou entre choros e fungadas. Minha cabeça não pensava em nada especificamente, procurei minhas falhas com Edward, um passo em falso, mas nada justificava as atitudes dele.

Eu não sabia muito sobre amor. Eu não sabia nada, na verdade. Questionei-me se fazer amor era o que Edward e eu tínhamos feito ontem à noite. Teve um ingrediente a mais, não foi só tesão e dois corpos queimando pele desejo. Tinha sido diferente, eu não me senti humilhada nem motivo de escárnio, Edward tinha quase me adorado. Eu via isso nos olhos dele. Ele não queria me humilhar ou causar dor, apenas, queria me fazer me sentir mulher.
Em meio a tantos pensamentos cruzados, foquei em um detalhe que tinha passado despercebido. Edward estava saindo de minha vida ou saindo da cidade, do estado? Ele não poderia voltar para Chicago, não era tão fácil conseguir uma transferência e não fazia nenhum sentido ele desistir da vida que estava construindo em Nova Iorque por minha causa.
Em algum momento da tarde, resolvi voltar para minha cama. Olhei para o apanhador de sonhos, sorri sozinha, era um presente que representava tanto Edward e sua preocupação. Eu não era muito crente em misticismo, mas valia a pena tentar, mesmo sabendo que aquilo não espantaria meu pesadelo.
Não o deixei invadir meus pensamentos, já bastava ele me atormentar todas as noites. Rolei na cama, completamente frustrada, até quando eu iria viver com aquilo?
A noite caiu e trouxe um céu estrelado, o apartamento nunca pareceu tão silencioso e enorme. Comi qualquer coisa e rastejei de volta para cama, antes que eu pegasse no sono, o celular chamou em algum lugar abaixo do edredom.
“Alô?” Perguntei assim que atendi.
“Ei Bella!” Alice disse feliz, aparentemente.
“Oi Alice, bem?” Sentei-me na cama, apenas para eu não dormir durante a ligação.
“Eu tenho uma proposta irrecusável para você e Edward!” Ela disse exponencialmente mais alto.
“Será só para mim então.” Falei sem perceber que aquilo traria mil questionamentos por parte de Alice.
“O que aconteceu com vocês?” Alice perguntou preocupada.
Eu não tinha motivos para omitir aquilo de Alice. “Eu o amo, nós transamos, e ele disse que é melhor nós não ficarmos juntos.”
Alice bufou baixinho. “A ordem foi essa?”
“Eu descobri que o amo enquanto estávamos perto da borda e, hoje de manhã, ele resolveu terminar o que nem tinha começado comigo.” Falei com tom de derrota.
“Bella, isso é horrível.” Alice disse ainda mais baixo. “Como você está?”
“Mal!” Eu existia outra palavra.
“Eu sinto muito por você, ele nunca te mereceu mesmo!” Ela disse com displicência.
Eu estava ficando irritada com todo mundo dizendo que Edward não me merecia!
“A gente nunca daria certo mesmo, Ali!” Falei para encerrar aquele ponto. “Então, qual é sua proposta?”
Alice pareceu pensar. “Uh, inicialmente seria uma saída de casais, mas podemos transformá-la em uma saída de garotas, o que acha?”
Deveria admitir que ficar em casa não estava me fazendo bem, e uma noite com Rose e Alice iria me fazer bem. “Rose também está indo? Tem tempo que não a vejo.”
“Vou ligar, mas é claro que ela vai animar. Uh, arrume-se e daqui uma hora eu passo ai para te buscar. Use sua melhor roupa, a mais curta que tiver!” Alice disse rindo descaradamente.
“Alice!” Eu a reaprendi, ultrajada. “Eu nem vou beber essa noite!”
“Ok Bella, apenas fique pronta, daqui a pouco estou em sua casa, beijos.” Ali desligou em seguida.

Joguei meu corpo para fora da cama, vasculhei meu armário em busca de uma boa peça de roupa. O vestido dado por Esme ainda tinha sido utilizado, aquela seria uma boa ocasião para usá-lo. Procurei os sapatos igualmente intocados. Eu sempre tinha problemas com meu cabelo, ele nunca me respeitava. Decidi deixá-lo preso no alto. Era um milagre oculto, mas minha pele brilhava um pouquinho e parecia mais vistosa. A única coisa que me permiti, foi um pouco de rimel e blush.

Pontualmente, minutos mais tarde, Alice bateu em minha porta. “Oi Ali!”
Alice estava bonita como sempre, saia completamente curta e uma camisa de seda. “Bella, diga-me agora onde você comprou esse vestido!”
“Foi a mãe de Edward quem me deu.” Senti meu rosto corando na mesma hora.
Alice procurou meus olhos. “O que aconteceu entre vocês?”
“Eu não sei, Alice. Eu desisti de entendê-lo.” Falei um tanto derrotada, fiz sinal para ela sentar-se no sofá.
“Você disse que o ama...” Ali disse sem pretensão.
Aquilo me pegou desprevenida. “Parece que não caber em meu peito, isso é forte, sim?”
“Eu fico feliz em te ver apaixonada, embora as circunstâncias sejam as piores.” Alice disse sorrindo, os olhos brilharam.
“Sério que vocês transaram?” Alice disse antes de eu responder qualquer coisa.
Meu rosto queimou de um jeito desconhecido, apenas movi a cabeça positivamente. Pedi internamente que Alice não pedisse muitos detalhes.
“Foi ruim?” Ela perguntou com evidente preocupação.
Eu sorri sozinha com as lembranças. “Foi incrível, Alice!”
Ela também sorriu, dessa vez, amplamente. “Você não vai me contar os detalhes, né?”
“Nop!” Soltei divertida para ela. “Quer beber alguma coisa?”
“Eu estou dirigindo.” Alice disse tristonha.
“Pode beber, eu posso dirigir para você, não pretendo extrapolar essa noite.” Falei e caminhei para a cozinha, peguei um copo e verti um pouco de um vinho velho que eu tinha.
“O que são aquelas plantas?” Alice pegou o copo e apontou para a sacada da sala.
“Estou tentando fazer um jardim, mas parece que não vai dar certo.” Olhei também para as plantas, elas não pareciam muito felizes, as folhas estavam amarelas e com aspecto estranho.
“Jasper não implicou por você sair sozinha?” Perguntei e fui conferir de perto as plantas.
“Ele confia na noivinha que tem.” Alice e piscou marotamente para mim.

Quando passou das dez, resolvemos sair e buscar Rosalie. Dirigi até Upper East Side e, bom, aquele lugar era realmente opulento. Rose não demorou a aparecer, os cabelos loiros estavam mais loiros e brilhantes. Ela trajava um vestido preto não muito justo, a carteira de mão brilhava como a jóia mais cara.
“Bella!” Rosalie disse assim que entrou no banco de trás. “Você está tão deslumbrante!”
“Obrigada Rose, você vai deixar Emm preocupado essa noite.” Devolvi sorridente para ela.
“Acredita que ele nem sabe que estou saindo esta noite?” Ela perguntou sem preocupação.
Alice e eu rimos sem deliberação, o que fez Rose sorrir também. Às vezes, eu tinha um pouco de dó de Emmett e Jasper.
(...)
Surpreendi-me quando Alice sacou as entradas vips da carteira. “Estamos com sorte, meninas!”
“Quem lhe deu?” Perguntei curiosa.
“O meu esteticista é amigo do promoter, ele me conseguiu algumas entradas.” Alice disse já se esquivando da lista e entrando na entrada privativa.
A Boate me lembrava uma única pessoa. Edward. Eu sabia que ele não gostava desses lugares, ele sempre iria preferir um pub a uma balada. Lembrei-me da última vez que dançamos juntos, na verdade, eu não me lembrava de nada. Aliás, eu ainda tinha curiosidade em saber o que eu realmente fiz aquela noite.
Nós três entramos juntas. A priori, já dava para perceber que estava lotado, tinha pessoas em todos os lugares, as luzes causavam uma tonteira momentânea, mas era divertido.  A música ecoou em meus ouvidos, a batida era desconexa e convidava o corpo a se mexer, mesmo querendo, minha vergonha me impedia de fazer qualquer passo muito elaborado.
“Bella, por favor, não seja um poste essa noite!” Rose praticamente gritou para mim, sem eu perceber, ela e Alice me puxaram para a pista.
Alice já segurava um copo na mão, ela quebrava o corpo sem inibição. Sem muitas escolhas, decidi me entregar a música também. Os olhares diziam que nós éramos um bom trio, eu não gostava daquele tipo de olhar em mim, principalmente, vindo de desconhecidos. Eu ignorava qualquer tentativa de aproximação.
“Alice?” Alguém gritou perto de nós, girei e encontrei um moreno muito forte sorrindo para nós.
Cutuquei Alice para chamar-lhe atenção, ela também sorriu quando viu o homem musculoso. “Ei Jake!”
Jake?
Ele caminhou para nossa direção, o sorriso enorme nunca saindo do rosto cheio de traços fortes. Ele era bonito, mas não era a beleza que eu gostava.  Alice e ele se abraçaram, enquanto Rose e eu apenas observávamos a cena. “Meninas, deixem-me apresentar-lhes meu amigo Jacob!”
“Meus Deus, essa não pode ser Rosalie Hale!” Jake praticamente gritou quando olhou para Rose. A voz saiu completamente surpresa.
Rose sorriu e lhe estendeu a mão. “Prazer, Jacob!”
“Eu assisto todos seus programas, sério, preciso de fotos com você!” Ele disse ainda mais efusivamente.
Tinha alguma coisa errada com ele, não tinha?
“Essa é Bella, Jacob.” Alice me anunciou, ele me puxou para um abraço.
“Ola?” Falei depois que ele me soltou.
“Alice fala muito de você, querida!” Ele disse sorrindo, as ruguinhas se intensificaram nos cantos de seus olhos negros.
“Ele que é meu esteticista, foi ele quem nos deu as credenciais.” Alice disse antes de beber mais do drink.
“Obrigada, a festa está incrível!” Falei sendo sincera.
“Meninas, o que dizem sobre algumas fotos?” Jacob praticamente nos puxou para perto do fotografo.

Os flashes dispararam incontáveis vezes, minha pose e sorriso não mudavam. Depois de um bom tempo Jacob dispensou o fotografo. Alice e Rose voltaram para a pista para deleite dos homens e inveja das mulheres.
“A festa está incrível, foi seu amigo quem organizou, né?” Perguntei apenas para manter uma conversa, já que Rose e Alice tinham sumido.
Jacob sorriu de um jeito engraçado. “Ele é o meu casinho!”
A bebida sem álcool que eu estava prestes a beber, balançou pela surpresa. Eu o olhei completamente corada. Jacob não pareceu se importar.
“Todos fazem essa mesma cara!” Ele disse divertido.
Eu me restabeleci antes de falar qualquer besteira. Eu não era nenhum pouco preconceituosa, mas eu deveria admitir que Jacob era um desperdício de homem.
“Você é discreto.” Coloquei vagamente, encarando-o.
“Eu sou.” Ele disse e nos guiou para o bar. “Eu não costumo dar muita pinta por ai.”
“Muita gente já te disse isso, mas, você é muito bonito para ser gay!” Falei e me sentei no banquinho.
“Obrigado?” Jake disse sorrindo, depois, passou a mão pelo cabelo preto.
“Uh, você é esteticista?” Lembrei-me do que Alice tinha tido.
Ele riu antes de responder. “É divertido ficar conversando com mulher o dia inteiro, ouvindo aqueles dramas intermináveis!”
Eu tinha um bom drama interminável. “Talvez eu vá conversar um pouco com você.”

Jacob me analisou por um instante. “Seu corpo não precisa de nenhum retoque, então tem alguma coisa para ser externada?”
Ele era um cara legal, mas não precisava saber de minhas frustrações com Edward. “É só um draminha de mulher.”
“Peça Alice o endereço, vai ser ótimo te atender!” Ele disse e bebeu um pouco do drink cor de rosa. “Aí vem ele!”
Jacob apontou para um cara ainda mais bonito, também muito forte. O cabelo loiro captava toda luz. “Estava te procurando!” Ele disse olhando para Jacob.
“Encontrei algumas amigas, esta é Bella, a propósito.” Dei minha mão para o homem ainda sem nome.
“Prazer, sou James!” Ele disse sério. Ele e Jacob eram a personificação da antítese. Um sério, outro divertido.

Eles conversaram alguma coisa que eu não ouvi, girei para o outro lado para dar mais privacidade. E se eu não estivesse louca, Edward estava sentado a poucos metros de mim. Que merda ele estava fazendo aqui?  Foquei meu olhar para ter certeza, era Edward dentro de uma camisa pólo azul escuro, a calça clara cobria as pernas torneadas e longas. Eu desisti de contar quantos copos vazios tinham ao redor dele.

“Então Bella, o que acha de subirmos para dançar um pouco?” Jake disse um pouco mais alto.
Não consegui responder, eu precisava saber o motivo de Edward estar ali, no mesmo lugar que eu. Não fazia nenhum sentido.
“Eu preciso de sua ajuda.” Falei também mais alto.
“Oi?” Jacob respondeu em dúvida.
“Está vendo aquele homem?” Apontei para Edward, que bebia sem parar. “Vá até lá e descubra por que ele está aqui.”
Jacob pareceu analisar Edward, ele demorou os olhos no homem que eu amava. “Seu namorado?”
“Só um conhecido.” Menti, pois não sabia como classificar Edward, eu só sabia que ele era ex alguma coisa. “Faça isso por mim, por favor!”
“Eu quero saber dessa historia todinha, certo?” Jake disse antes de caminhar até Edward.
Meu coração batia de um jeito diferente, eu não gostava de ver Edward bebendo daquele jeito, ele parecia desiludido com a vida.

Quando Jake voltou, foi impossível disfarçar a expectativa. “Aquele cara é engraçado!”
“O que ele disse?” Perguntei sem rodeios.
“Ele disse que precisava beber, por que a mulher da vida dele não o merece...” Jacob disse sem deixar de me olhar. Eu não sabia por qual motivo eu estava corada, se era por Jacob perceber o meu blefe, ou pela declaração de Edward.
“Edward costuma falar bobagens quando bêbado.” Falei e olhei novamente para Edward, ele nunca notaria minha presença.
“Ele parece um tanto fodido.” Jacob voltou a se sentar, eu não poderia dar as respostas que ele procurava.
“Posso te pedir mais um favor?” Não esperei a resposta. Pedi uma caneta e um guardanapo ao barman e anotei o endereço de Edward. “Leve Edward para casa? Ele está bêbado e, possivelmente, dirigindo.”
Jacob me olhou de um jeito estranho. “Você gosta dele!”
“Gosto.” Admiti envergonhada. “Apenas leve-o para casa, eu me sentiria culpada se deixasse Edward dirigir.
“Eu não posso obrigá-lo a me dar as chaves do carro dele.” Jacob falou o óbvio.
“Ele está bêbado, ele nem sabe o que está acontecendo, apenas não abuse dele!” A última parte fez meu rosto queimar.
Jake sorriu para mim, completamente atrevido. “Não seria uma má ideia, mas eu sei de quem ele gosta!”
Não respondi ao comentário. “Eu preciso ir embora, vou procurar Ali e Rose. Foi ótimo te conhecer, passe-me seu número.” Joguei meu celular para ele.
Abracei-o e o agradeci pelo o que ele estava fazendo por Edward. “Até mais, Jake!”
Encontrei Alice meio altinha na pista, Rose dançava como uma louca. As duas caminharam para minha direção quando me viram. “Vamos?” Alice disse, estranhei o fato dela não ter relutado para ficar mais.
Alice foi a primeira a dormir quando entrou no carro, Rose falava alguma coisa sobre Jake e seu namorado,  ou casinho,  sei lá. Minha cabeça só estava em Edward, aquela bebedeira descompensada. O destino estava sempre contra nós, sempre nos colocando cara a cara. Deixei Rose em seu apartamento, minha dúvida rondava sobre para onde eu levaria Alice. Se eu a deixasse em casa, não teria como eu voltar para casa. Peguei meu celular e mandei uma mensagem para Jasper, ignorei o fato de passar das três da madrugada.

Jasper, Alice vai ficar em minha casa essa noite. Ela dormiu, amanhã ela te liga.
Beijos, Bella.
Tirar Alice do carro fora uma tarefa quase impossível, ela não colaborava. Depois de muito tentar conseguir passar pela porta de meu apartamento.
O velho quarto de Alice estava muito bagunçado, eu não tinha problemas em dividir minha cama. Nós duas dividimos a cama, busquei um edredom para cada uma.
(...)

Parecia que eu tinha dormido apenas dois segundo, quando o relógio despertou. Pulei da cama e corri para o banheiro e deixei Alice dormindo tranquilamente. Eu sempre me atrasava, deixei um recado para Alice, peguei um biscoito qualquer e desci para a garagem. Dei uma olhada no estacionamento, o Volvo de Edward não estava lá.
Enquanto dirigia liguei para Jacob, ele tinha deixado Edward em casa e, segundo ele, Edward era o bêbado mais engraçado que ele já conhecera. Ri sozinha quando imaginei Edward descobrindo quem o tinha levado para casa.

(...)

O dia de trabalho passou normalmente, enquanto o elevador subia para o quarto andar, eu procurava minhas chaves. Sai do elevador calmamente, mas meu estado de espírito mudou quando eu vi Edward sentado em frente a minha porta, exausto.
“O que você está fazendo aqui?” Perguntei repentinamente, os olhos de Edward subiram para encontrar os meus. Ele ignorou completamente minha pergunta pouco polida.
“A gente precisa conversar.” Ele disse baixinho, evidenciando seu cansaço.
Abaixei-me para ficarmos na mesma altura. “A gente não tem nada para conversar, Edward.”
As mãos dele pegaram meu rosto, o afago delicado foi feito em minha bochecha. “Eu não posso te perder, baby.”
O apelido dito tão doce fez meu peito bater mais forte. “Você ainda está de ressaca, não sabe o que está dizendo.”
Edward remexeu no chão, ele estava de uniforme; com certeza, o turno tinha acabado de terminar. “Como sabe que eu bebi?”
A pergunta veio sem aviso, procurei uma boa resposta. “É só olhar para sua cara, está gritando para qualquer um.”
“Eu preciso entrar, Edward.” Fiz menção de levantar, mas ele não deixou.
“Bella, vamos nos resolver, por favor!” A voz de Edward tornou-se ávida.
Eu deveria ser forte, eu não gostava de ver Edward tão vulnerável, eu sabia que eu não deveria deixar aquela situação se estender.
“Edward, você sabe exatamente como eu me sinto em relação a você, eu não menti quando disse que te amava, eu nunca faria isso.” Falei mais uma vez para ele, e, novamente, um brilho desconhecido saltou em seus olhos.
Ele tinha os olhos presos nos meus. “Eu não posso ficar com um cara que não sabe o que sente por mim, eu quero você de corpo, alma e coração. Eu quero os três juntos.” Nossos olhos não desviaram, então eu fiz a pergunta que eu tinha medo.
Antes, Edward afagou novamente minha bochecha, os lábios finos tremiam levemente. Puxei todo o ar que eu tinha. “O que você sente por mim, Edward?”

A pergunta foi absorvida aos poucos, Edward olhou para baixo e depois para mim, a única coisa que seus olhos transmitiam era a confusão, embora o brilho desconhecido permanecesse. Ele não me respondeu.  Duas lágrimas brotaram em meus olhos. “Está vendo? Eu não quero um Edward hesitante.” Falei baixinho.

“Desculpe por eu estragar sua vida, baby.” Edward deixou um beijo em meus lábios, fora inesperado, meus lábios moveram-se sem minha permissão. O beijo foi sofrido, apenas.

Nossos rostos continuaram próximos. Tinha um tanto de emoções entre nós. “Eu não estou dizendo que vou deixar de gostar de você, Edward. É apenas uma escolha. Agora eu posso escolher, eu posso fugir. E eu estou escolhendo não sofrer por você.” Falei antes de me levantar. Meu coração já batia na garganta. E as lágrimas morreram em minha boca.
Quando eu passei pela porta, apenas escorreguei até me sentar no chão. O choro voltou e, com ele, a dor. Eu era o retrato do homem que estava do outro lado da porta.

A cama que eu estou deitado está ficando mais fria
Desejaria que eu nunca tivesse dito que terminou
E eu não posso fingir que eu não pensarei em você quando eu for mais velho
Porque nós nunca tivemos realmente nosso encerramento
Isso não pode ser o fim
Realmente sinto falta de seus cabelos no meu rosto e do gosto da sua inocência
E eu acho que você deveria saber isto
Você merece algo muito melhor do que eu
E eu penso que você deveria saber isto
Você merece algo muito melhor do que eu
(E eu penso que você deveria saber isto)
(Você merece algo muito melhor do que eu)


Continua....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...