16 outubro 2013

FanFic: Destinados Ao Amor - Capítulo 19

Destinados Ao Amor

Autora(o): Paula Halle
Gênero: Romance, Comédia, Fantasia, Hentai, Universo Alternativo
Censura: +18
Categorias: Saga Crepúsculo
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo

**Atenção: Esta história foi classificada como imprópria 
para menores de 18 anos.**

Capítulo 19 - Era isso, ele realmente se foi.

– Porra mulher, espero que essas roupas sejam do Masen, ou eu vou ter que expulsar o verme que está roubando a garota do meu amigo.
– MITCHELL! – gritei e ele sorriu mais ainda.
– Em carne e osso amor.

Não pude evitar o enorme sorriso em meu rosto, o amigo de Edward está aqui. Edward iria amar vê-lo.
– Não acredito que está aqui, é bom finalmente conhecê-lo. – ele sorriu mais.
– É um prazer conhecer a infame Isabella Swan. – piscou e ri, um braço rodeou minha cintura e sorri encostando meu corpo no peito de Edward.
– É Isabella Masen agora. – Edward corrigiu com um sorriso estendendo o outro braço para seu amigo para apertar sua mão.
Mitchell riu quando apertou a mão de Edward.


– Porra Masen, eu sabia que estava com medo de eu roubar sua garota, mas precisava casar com ela? – Edward bufou atrás de mim.
– Claro, claro, esse foi meu único intuito ao casar com Bella, só para mantê-lo na linha. – ele rolou os olhos, enquanto sorriso de Mitchell ficou maior.
– Masen, Masen, como se uma aliança fosse me parar. – piscou pra mim e ri.
– Chega meninos. Mitchell mantenha sua lábia sobre controle, o único homem que quero é Edward. Agora entre e fique a vontade. – me afastei com Edward ainda grudado em mim, Mitchell riu nos seguindo para dentro.
– Vou tentar me controlar Sra. Masen. – piscou enquanto nos seguia para a sala, indiquei o sofá e ele se sentou, Edward sentou na poltrona ao lado me sentando em seu colo.

– O que faz aqui cara? Achei que ia direto para Chicago.
– Eu queria conhecer sua garota antes de ir ver meus velhos.
– Como conseguiu meu endereço?
– Eu liguei pro velho Masen, ele foi gentil em me passar o endereço, me convidou pra ficar com ele também, já que a casa da adorável Bella, não tem um quarto extra. Palavras dele. – piscou.
– Pare de piscar pra minha mulher Mitchell. – ele riu relaxando no sofá.
– Com medo de eu roubá-la Masen?
– Mais preocupado de você levar um soco.
– Garrett seja bonzinho, que tal irmos até o café e você conhecer meus amigos. – ele fez uma careta, olhando para Edward com uma carranca.
– Cara contou meu nome pra ela? – Edward riu.
– Sim.
– O que? Aé você não gosta de Garrett, desculpe. – ele arqueou uma sobrancelha, sorrindo em seguida.
– Quer saber, ouvir você chamando meu nome não é tão mal. Pode me chamar como quiser amor. – piscou novamente, Edward grunhiu.
– Mitchell.
– Ok, vou parar. – riu se levantando. – Então posso usar seu banheiro, depois podemos ir encontrar seus amigos.
– Claro, Edward mostre onde fica eu vou me trocar. – dei um beijo rápido em seus lábios saltando do seu colo, Edward deu um tapa na minha bunda e o olhei com uma sobrancelha arqueada.
– O que? – rindo fui para o quarto deixando os dois a sós.

Tirei as roupas de Edward e vesti um jeans, blusa e um casaco, parou de nevar, mas ainda estava frio, penteei o cabelo o arrumando em um rabo de cavalo. Peguei meu notebook e rapidamente procurei um endereço, o marquei e guardei no bolso da calça, voltei para a sala encontrando Edward ainda no sofá, ele havia colocado roupas para me encontrar na porta, então não precisava se arrumar, só calçar os sapatos.
Me sentei em seu colo, seus braços me rodearam imediatamente, seu rosto enterrando em meu pescoço.
– Tudo bem Edward. – brinquei com seu cabelo, ele assentiu me apertando mais.
– Sim, é só que a chegada de Mitchell me lembrou de que estou partindo em dois dias. – meu coração se apertou, eu não havia esquecido, mas tentava afastar o pensamento.

Em dois dias Edward iria, por um ano inteiro. Como eu conseguiria ficar sem ele? Como iria seguir a vida sabendo que ele está longe, podendo morrer e não voltar pra mim?
Edward retirou os braços do meu corpo agarrando meu rosto para me encarar.
– Hey, não fique assim.
– Assim como?
– Triste, eu quero lembrar-me dos seus sorrisos, não deixar você triste. – respirei fundo, não importava o que estava por vir, eu vou me concentrar no agora. E agora eu tenho Edward e estou aproveitando cada momento que tenho com ele.
– Estou bem. – sorri abraçando seu pescoço roçando meus lábios nos seus, ele gemeu contra minha boca me apertando em seus braços, aprofundando o beijo.
Gemi contra sua boca, me esfregando em seu colo, já o sentia se animando em baixo de mim, suas mãos foram para minha bunda que ele apertou com força, ofeguei, o beijando com mais urgência.
– Vocês querem que eu saia? – Mitchell falou com uma risada, e afastei de Edward corando, havia quase transado com Edward me esquecendo de que seu amigo estava aqui.
– Não, nos só... er estávamos... – Edward riu com a boca encostada no meu pescoço.
– Eu vou calçar meu tênis. – beijou minha bochecha, se levantando, antes me colocou no assento ao lado.
Assim que ele saiu Mitchell sentou ao meu lado sorrindo.

– Eu posso dizer uma coisa Bella?
– Claro.
– Eu conheço Masen só há um ano, ele sempre foi um cara reservado, não sorria muito, nem gostava de falar. As únicas horas que eu conseguia fazê-lo rir, era quando falava alguma palhaçada, mas mesmo ele sendo fechado e meio chato, ele é meu melhor amigo, e meu irmão, todos somos irmãos lá, e nos protegemos, cuidamos um do outro.
– Eu sei, Edward sempre dizia isso nas cartas. – ele sorriu, mas ficou sério em seguida tomando uma respiração profunda.
– Eu sei que está com medo Bella, mas eu juro pra você, não vou deixar nada acontecer com ele.
– Você promete? – ele sorriu um pouco erguendo a mão para secar uma lagrima que deslizou por meu rosto.
– Eu juro por tudo que é sagrado Bella, ele vai voltar pra você.
– Obrigada. – sussurrei e ele sorriu, seu bom humor voltando.
– Não é nada demais. Afinal se eu for roubar a garota dele, é bom ele estar inteiro pra lutar comigo. – piscou e ri o empurrando.
– Você é muito bobo.
– Vamos? – Edward chamou entrando na sala e corri até ele abraçando sua cintura, ele sorriu me abraçando de volta dando um beijo em minha testa. – Tudo bem?
– Sim, tudo ótimo. Vamos que mais tarde temos um compromisso.
– Qual?
– Depois te conto. – pisquei e agarrando sua mão comecei a puxá-lo para fora.

Garrett agarrou sua mochila nos seguindo, pedimos para ele deixá-la ali, mas ele negou dizendo que ia para a casa do pai de Edward em seguida.
Caminhamos para a rua, Garrett contou para Edward dos caras, como todos estavam, e que sentiam saudades dele, falou também, que estavam ansiosos para ver se Edward voltaria mais relaxado, depois de se livrar de toda a tensão sexual que ele acumulara.
Edward somente riu, ignorando as palhaçadas de Garrett, ao chegarmos ao café, sorri ao ver Emmett atrás do balcão servindo café a uma senhora, depois que ela saiu ele me viu e sorriu.

– Ora, ora Swan, a que devo a honra da sua presença? Eu jurava que teria que te arrastar para fora do seu apartamento depois que o soldado partisse.
– Hey Emmett. É bom ver que alguns dias sem mim, não mudou você. – ele riu.
– Vamos lá Swan, sei que você me ama. – piscou e ouvi Garrett gemendo.
– Porra Masen, você não disse que teria concorrência.
– Mitchell não há concorrência, ela já é minha.
– Diga isso de novo, depois que eu jogar todo meu charme nela. – me voltei para os dois que riam.
– Seu soldado bateu a cabeça Bella?
– Não, por que?
– Bem, o cara ao lado deixou claro que ia tentar te conquistar, e o soldado só riu.
– Ah, esse é Mitchell, ele é melhor amigo de Edward, também é soldado. – Emmett olhou Mitchell de cima a baixo e ao se aproximar cruzou os braços sobre o peito musculoso.

– Então soldado, estou de olho em você em, é bom manter suas patinhas pra si mesmo. – Garrett arqueou uma sobrancelha, e olhou para Edward que sorria, voltando-se para Emmett ele riu.
– Bem homem, pode ficar tranquilo, que minhas patinhas vão ser mantidas sobre controle.
– Bom, bom. Sou Emmett a propósito.
– Mitchell. Você também tem uma queda pela linda Bella? – Emmett riu.
– Claro, mas ela tem uma queda por soldados, então estou passando um tempo com a amiga dela, até o soldado partir. – Garrett riu.
– Edward vai, mas eu vou ficar.
– Maldição, acho que vou colocar Bella em algumas horas extras, para mantê-la longe da tentação.
– É o melhor homem, pois eu posso ser muita tentação. – piscou fazendo Emmett rir.

Os dois começaram a conversar, voltei para Edward, colocando meus braços em volta do seu corpo, ele deitou a cabeça em cima da minha respirando fundo em meu cabelo.
– Então qual o compromisso que temos?
– É uma surpresa.
– Podemos ir já?
– Acho que sim. Deixe só eu me despedir de Emmett. – ele assentiu indo se despedir de Garrett.
Dei um abraço em Emmett prometendo ligar em breve, ele nos convidou para virmos amanhã para que Edward pudesse se despedir do pessoal, prometi vir, dei mais um abraço nele, pedindo para que ele mandasse um beijo para Rosie. Dei um abraço em Garrett e o convidei para vir amanhã, pedi que chamasse Sr. Masen também.

Saímos do café de mãos dadas andando pelas ruas, chamei um taxi e passei o endereço que tinha olhado na internet alguns dias atrás. Edward sorria, me olhando com curiosidade.
– Você está sendo misteriosa. – ri me encostando-se a ele.
– É essa a ideia. – o taxi parou e Edward pagou antes que eu pegasse o dinheiro no bolso, saímos e peguei sua mão o levando para o outro lado da rua.
Até um estúdio de tatoo, Edward riu quando viu o estúdio.
– Você sabe que não precisa fazer isso?
– Eu quero.
– É?
– Com certeza.
– Então vamos.

[...]

Edward passou a pomada cicatrizante no meu quadril e estremeci.
– Tudo bem?
– Sim, só incomoda um pouco.
– Sabe eu tenho que admitir que realmente a tatuagem tem poder. – ri o puxando para cima de mim passando as mãos por sua tatuagem sexy.
– Eu disse, a tatuagem tem poder. – ele beijou meus lábios, sua língua brincando com a minha, gemi o abraçando com as pernas, sua ereção cutucou minha entrada.
– Bella...
– Me foda.
– Porra você já está molhada.
– Por você.
– Sim... – grunhiu empurrando o pau para dentro de mim, ambos gememos quando nos unimos.

Edward me encarou enquanto entrava e saia de mim, gemi agarrando o cabelo da sua nuca, ele levou a mão entre nós esfregando meu clitóris, arfei arqueando meu corpo de encontro ao dele, a sensação dos meus seios esfregando contra seu peito, só me levava mais perto da borda.

– Deus, você é tão boa. – ele gemeu descendo os lábios para meus seios.

Gritei quando ele chupou meu mamilo mordiscando o bico, ora um ora outro, meu corpo pulsava e eu estava cada vez mais perto. Podia sentir meu corpo vibrando e o prazer começando a se construir dentro de mim, Edward empurrou o pau com força alçando um ponto que me fez gritar alto, mais algumas investidas e eu estava vindo. Gritando e gemendo palavras incoerentes. Seu pau pulsou dentro de mim, e o senti jorrando em minha entrada.

Seu corpo caiu molemente sobre o meu e o abracei com força beijando seu ombro. Ele suspirou me apertando em seus braços, o rosto entre meus seios, senti algo molhado entre meus seios, o que? Afastei os braços dele para pegar seu rosto entre minhas mãos, suspirei ao ver lagrimas nos seus olhos bonitos.
Eu queria dizer algo para ele, algo que o fizesse se sentir melhor, mas eu sentia o mesmo que ele. Só tínhamos mais dois dias, depois iríamos ficar meses sem nos ver.

Queria... queria que pudéssemos fugir, fugir de tudo, da vida e ficarmos sempre juntos. Mas não podíamos, tínhamos trabalhos, amigos, pessoas dependendo de nós, fugir seria fácil, mas a vida não é fácil, nada que vale a pena vem fácil. E Edward e eu, nosso amor valia a pena, e iria demorar, porra demoraria muito, mas valeria o esforço no final.
– Eu te amo. – sussurrei por fim, e ele sorriu com os olhos molhados, beijei suas bochechas e o abracei novamente.
–Te amo, te amo, te amo, volte pra mim seguro.
– Eu vou. – ele sussurrou com o rosto enterrado contra minha pele.

Suas palavras reverberaram em minha pele, em meu coração, na minha alma, e eu sei que são as mais verdadeiras do mundo, Edward ia voltar pra mim. Passamos o resto da noite abraçados sussurrando o nosso amor. Avisei aos outros que não iríamos à noite, queríamos ficar juntos, eles se despediram de Edward por telefone, seu pai e Garrett nos encontrariam no aeroporto no dia de Edward ir.

O dia seguinte nem saímos da cama, exceto para comer ou tomar banho, desligamos telefones, trancamos a porta. Era só nós dois. Não havia nada, apagamos o mundo e nos concentramos no que importava nosso amor, fizemos amor, trocamos palavras, choramos, passamos o dia nos preparando para a despedida.

– Garota do Masen. – ele sussurrou contornando as pequenas letras em meu quadril e sorri.
– Sim, sua garota. – ele deitou a cabeça em meus seios abraçando meu corpo.
Suspirei passando os dedos por seu cabelo bagunçado.
– Você vai raspar a cabeça de novo?
– Não. Talvez cortar um pouco, mas não raspar.
– Bom, eu gosto do seu cabelo assim.
– Eu gosto quando passa os dedos por ele.
– Que bom, pois adoro tocar seu cabelo, na verdade tocar em todo você. – ele riu contra meus seios.
– Pode tocar onde quiser amor.
Ficamos quietinhos por alguns minutos, ele dava beijos ocasionais em minha pele me fazendo estremecer.

– Edward?
– Sim?
– Quando você voltar, podemos ter um bebê? – ele ergueu o rosto me encarando, seu sorriso parecia o sol de tão grande, os olhos brilhavam, o verde nunca esteve mais bonito.
– Um bebê? – sussurrou e assenti.
– Eu quero um. Eu nunca pensei em ter um, sabe eu sempre fui a mãe cuidando da minha, pois ela esquecia tudo, e ter um bebê nunca me passou pela cabeça até agora. Mas agora eu quero, quero muito ter um bebê seu.
– Porra Bella, você sabe como fazer um homem transbordar de felicidade. – ri pegando seu rosto para beijar sua boca.
– Sim?
– Sim, sim, quero tanto um bebê seu Bella. Ter uma menininha bonita com seu cabelo, seus olhos, eu posso vê-la, ela vai ser linda.
– Vamos chamá-la de Lizzie.
– Sério?
– É perfeito.
– Você é perfeita. – havia lagrimas em seus olhos de novo quando seus lábios esmagaram contra os meus.

Gemi contra sua boca, sentindo minhas próprias lagrimas se misturarem com as dele. Nos fizemos amor lentamente, tocando, beijando, se unindo como se fosse a primeira e ultima vez ao mesmo tempo, e de certa forma era. Quando atingimos o clímax ao mesmo tempo estávamos ambos sem fôlegos e sem palavras, mas não precisávamos de palavras, só estarmos abraçados, sentindo o calor do corpo um do outro era o suficiente, foi o suficiente para nós.

[...]

Abri os olhos na manhã seguinte, olhei para o lado e estava vazio, meus olhos correram pelo quarto e se encheram de lagrimas ao ver sua mochila ao lado da porta, meu coração se apertou.
Era hoje.
Ouvi barulho vindo do banheiro, passei as mãos pelo rosto, forçando um sorriso quando ele saiu do banheiro.

– Bom dia, eu... – ele negou vindo até mim sentando na beirada da cama me dando um beijo rápido.
– Não finja Bella, se quer chorar chore. – uma lagrima deslizou por minha bochecha.
– Ok. – ele riu beijando minhas lagrimas.
– Você pode ficar aqui, você sabe né?
– Não eu tenho que ir, sabe nós precisamos fazer aquela cena de aeroporto, você indo eu me descabelando, todo mundo olhando. – ele riu.
– Com certeza precisamos fazer isso.
– Ok, vou me vestir rapidinho. – saltei da cama, mas antes que eu entrasse no banheiro ele me agarrou me dando um beijo estalado.
Ri contra seus lábios.
– Edward.
– Eu já disse que você fica linda de manhã?
– Ah acho que não.
– Você fica Bella, lindíssima, mesmo com a baba seca ao lado da boca.
– Oh merda. Edward. – o empurrei indo para o banheiro.
Ele riu enquanto eu corria para lavar a boca.

Usei o banheiro e me arrumei o mais rápido que podia, seu voo era as dez. Eu não fazia ideia que hora é, mas se ele já estava pronto devia ser quase a hora. Voltei para o quarto, vesti uma calça e uma blusa, e botas sem saltos, fui para a sala e encontrei Edward no sofá segurando o relógio que lhe dei.

– Estou pronta.
– Eu não. – sussurrou, suspirando fui até ele sentando no seu colo.
– O ano vai passar tão rápido, que vamos nos sentir bobos por que ficamos tristes. – ele sorriu.
– Você vai voltar a me mandar cartas?
– Claro, cartas, e caixas com doces, fotos sexys. – movi as sobrancelhas o fazendo rir.
– Gostei da parte das fotos.
– Vou mandar uma foto nova em cada carta pra você não se esquecer de mim.
– Como se fosse possível esquecer-me de você. Mais fácil você esquecer de mim.
– Puuf, como se isso fosse possível. Ah já sei. – saltei do seu colo, correndo para o quarto e indo pegar minha câmera na gaveta da cômoda, voltei para a sala sentando em seu colo, encostei meu rosto no dele, tirando uma foto.
Ele sorriu.

– Tire outra.
Ele me beijou dessa vez, tiramos mais fotos, e prometi mandar algumas copias pra ele. Alguém tocou a campainha, sai do seu colo indo atender a porta, sorri ao ver pai de Edward e Mitchell.
– Oi, achei que íamos nos ver no aeroporto.
– Pensei em dar uma carona. – Anthony sorriu me puxando para um abraço.
– Obrigada, é melhor mesmo, assim o taxista não me vê abrindo um berreiro. – Mitchell riu vindo me abraçar também.
– Não fique assim linda, ou eu vou chorar também. – piscou me fazendo rir.
– Claro, claro.
– Hey pai, Mitchell. – Edward os cumprimentou com abraços.
– Então vamos?
– Sim já está na hora.
– Vou pegar minha mochila.

Assim que estávamos prontos saímos, descemos as escadas, chegando em frente ao prédio, onde um bonito carro prata estava estacionado, Sr. Masen abriu a porta e Edward e eu entramos atrás, enquanto Mitchell e Anthony na frente. Todos ficamos em silêncio enquanto ele dirigia rapidamente para o aeroporto. Embora eu queria que o tempo parasse, para ficar mais grudada em Edward, o tempo corria de tão rápido.

Quando chegamos, Edward saiu abrindo a porta pra mim, esperamos Mitchell e seu pai, e juntos caminhamos para a entrada. Estava a bagunça de costume no aeroporto, Edward já tinha comprado sua passagem online, fomos para escadas rolantes, subindo até o andar de cima, não poderíamos passar pelo portão de embarque, então nos preparamos para a despedida.

– Cara, cuidado lá, logo vou voltar pra ficar de olho em você em. – Edward sorriu abraçando Mitchell apertado.
– Eu vou irmão. – Mitchell segurou o rosto de Edward encostando a testa na dele.
– Boa viagem irmão, não deixe Newton dormir na minha cama.
– Pode deixar. – eles deram mais um abraço, e ele se afastou para dar lugar ao pai de Edward.
– Boa viagem filho, e tome cuidado.
– Eu vou pai. – ele abraçou Edward sussurrando algo em seu ouvido, Edward assentiu abraçando seu pai com força.
– Obrigada pai.
– Eu te amo Edward.
– Cuida dela pra mim pai.
– Eu vou.

Sequei as lágrimas que já molhavam meu rosto, Edward soltou seu pai vindo até mim. Ele pegou meu rosto encostando a testa na minha.
– Não importa que tenhamos que nos separar por um tempo. Não importa que nossos olhares não se cruzem neste período. Não importa se haverá a ausência de nossas vozes. O que realmente importa é a certeza de estarmos sempre juntos, mesmo que só em pensamentos. É a certeza do quanto eu amo você... Hoje, amanha e sempre!
– E vamos sempre estar juntos.
– Sempre.

Ele me abraçou forte, beijando em seguida, seus lábios tomando os meus com urgência, paixão, saudades, seria o ano mais difícil da minha vida, mas eu sabia que ele ia voltar pra mim.
Ouvimos o anuncio do seu voo, e ele se afastou sem deixar de me abraçar.
– Eu amo você Bella, fique segura, e me espere.
– Eu te amo Edward, por favor, tome cuidado, volte pra mim.
– Vou voltar, meu lugar é com você, eu só sou completo com você.
– Ok. – ele sorriu me dando mais um beijo e me soltou se afastando.

Ele acenou para seu pai e Mitchell e se foi indo em direção ao portão de embarque, quando passou me olhou sorrindo, moveu os lábios sussurrando mais um “eu te amo”, e se foi.
Oh meu Deus, ele se foi.
Senti braços em volta de mim, e nem sabia quem era, mas abracei chorando.
– Ele vai voltar logo querida. – Sr. Masen, sussurrou e o abracei mais forte.

Era isso, ele realmente se foi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...