15 setembro 2016

"The Childhood of a Leader" com Robert incluído: Lições que os estúdios devem tomar com o mundo Indie

#8 - A paciência é uma virtude ("Hell or High Water", "The Childhood of a Leader")

Apesar de ser monótono e sem vida, muitos dos blockbusters deste verão empurraram extrema violência que arrasou metrópoles: os deuses místicos de "Suicide Squad" aterrorizou Midway City, Krang tenta destruir NYC em "Teenage Mutant Ninja Turtles: Out of the Shadows", e os alienígenas de "Independence Day: Resurgence" que derrubam a London Bridge.

Mas nada disso surpreendeu, uma vez que todas estas sequências se resumia a brusca loucura do CGI (imagens geradas no computador). O que realmente teve êxito foram o indies que valorizava cenas tranquilas sobre o caos, por isso, quando momentos violentos eclodiram, eles empacotaram um verdadeiro soco.
O meditativo The Childhood of a Leader de Brady Corbet, tomou um passo relativamente radical em introduzir personagens e deixando eles falarem uns com os outros. Até o momento em que a mão de uma criança cheia de pedras puxa o tapete debaixo de nós, e então o nosso voyeurismo foi quebrado. E, apesar de "Hell or High Water" de David Mackenzie ser um conto sobre um assalto a banco, os tiros queimaram porque eles bagunçaram o resto da calma do filme. Texas nunca pareceu tão linda como a noite antes maior assalto de nossos personagens centrais, como eles estão bebendo cerveja, brigando, rindo e conversando. Com a criação de momentos de calma entre personagens você torce e tem empatia com esses filmes, que tem bem mais dificuldade de ter sucesso, do que milhares de cidadãos sem rosto que fogem da desgraça extraterrestre.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...